quinta, 20 de junho de 2024
Política
17/05/2024 | 17:04

COLUNA DO PRISCO PARAÍSO: Visita estratégica

Visita estratégica

Hospitalizado em São Paulo desde o último final de semana, Jair Bolsonaro recebeu, nesta semana, a visita de Jorginho Mello. O governador catarinense e o ex-presidente da República estão cada vez mais próximos, em um relacionamento que tem tudo para sinalizar engajamento diferenciado de Bolsonaro aqui no estado durante a campanha municipal deste ano.
O próprio Jair Bolsonaro já deixou claro que vai dar uma atenção toda especial a quatro dos principais colégios eleitorais: São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. Isso se tivermos eleições no estado vizinho. Santa Catarina proporcionou a Bolsonaro, tanto em 2018 quanto em 2022, a vitória mais retumbante, proporcionalmente falando e aí considerado os 10 maiores colégios eleitorais.
Vamos refrescar a memória. Quase 76% dos votos válidos no segundo turno em 2018 e quase 70% contra Lula da Silva em 2022. Está em SC, também, o 04, seu filho, que será candidato a vereador por Balneário Camboriú.
Não custa lembrar, ainda, que também atua por aqui o 06, Jorge Seif, que o ex-presidente tem como um filho e a quem elegeu.
Agora há essa ligação íntima com Jorginho Mello. Ou seja, Santa Catarina tem tudo para ser um dos estados mais frequentados ao longo da campanha eleitoral pelo ex-presidente.

Norte

Nessa conversa de quarta-feira, já ficou mais ou menos acertada a participação de Bolsonaro num grande evento em Joinville, que é o principal município catarinense, detentor da principal economia.

Favoritismo

Lá, o prefeito do Novo, Adriano Silva, realiza uma grande gestão e é favoritíssimo à reeleição em outubro deste ano. Por que se faz essa observação em relação à Joinville?
Porque, se relacionarmos aí, 10 dos principais colégios eleitorais de Santa Catarina, Joinville e também Chapecó são aqueles em que o PL apresenta perspectivas mais desalentadoras.

Dúvida no ar

Em Chapecó, não se sabe se Bolsonaro vai participar ou não, considerando-se que ele tem uma boa convivência com o prefeito João Rodrigues, do PSD, candidato à reeleição. Muito embora seja do PSD, partido do qual Bolsonaro não quer saber de aproximação. Antes, pelo contrário, o ex-presidente tem detonado publicamente o presidente nacional, Gilberto Kassab.
O PL vai ou não lançar candidato em Chapecó?

Conservadorismo

E, se lançar, será um candidato efetivamente para entrar na disputa ou simplesmente para rachar a fatia conservadora do chapecoense? Isso aí só o tempo dirá.

Distância calculada

Voltando para Joinville. Adriano Silva não quis aproximação com Jorginho Mello e acabou fazendo uma aliança informal com o PSD. O candidato do PL será o deputado sargento Lima.

Espuma

Nos últimos dias, especularam o nome do ex-deputado Kennedy Nunes, hoje diretor-geral do Detran-SC. Apenas marola para tentar dificultar a caminhada do sargento Lima. Ele está inelegível desde o início de abril. Sem mandato, Kennedy teria que ter se desincompatibilizado no dia 5 de abril e não o fez.

Confusão

Essas especulações foram apenas para dar uma bagunçada na trincheira oposicionista, trincheira essa que está um pouco combalida. O ex-deputado federal e ex-vice-prefeito Rodrigo Coelho não será candidato. Fernando Kreeling, deputado estadual do MDB, também não está animado.

Entrincheirado

Sobrou apenas o sargento Lima. A ideia da visita de Jair Bolsonaro, ainda em junho, em Joinville, para o lançamento da candidatura de sargento Lima, visa justamente tentar aproximar algumas siglas desse projeto.


Aposta

O desafio de Bolsonaro, do PL e do próprio Lima, além do governador Jorginho Mello, é colocá-lo no segundo turno, sempre com a perspectiva de que o embate entre dois candidatos numa grande final é uma nova eleição.

Contextos

Se, em Joinville o cenário não é favorável, nos outros oito municípios-polo, o PL vai muito bem.

Nominata

Criciúma, Ricardo Guidi; Tubarão, Estêner Soratto; São José, Adeliana Dal Ponte; Itajaí, Robson Coelho. São nomes com grandes perspectivas de eleição. Repetindo: Criciúma, Tubarão, São José, Itajaí e Blumenau com Egídio Ferrari.

Quinteto

Nessas cinco, o PL é favorito e temos outros três municípios onde, dependendo do resultado, poderá se constituir também numa vitória para Jorginho Mello. Isso em Lages, onde Carmen Zanotto desponta; Florianópolis com Topázio Silveira Neto, que é do PSD, mas já está encaminhado para o PL pós-eleição; e finalmente Jair Franzner, que é do MDB de Jaraguá do Sul, onde o seu antecessor, hoje deputado Antídio Lunelli, tem também tricotado com frequência com Jorginho Mello.

Ventania

Os ventos são muito favoráveis ao PL e a Jorginho Mello. Considerando os principais municípios. Também por isso, eles desejam também criar uma perspectiva eleitoral mais favorável em Joinville, com Bolsonaro envolvido e mergulhado na campanha.


JORNAL IMPRESSO
21/06/2024
14/06/2024
07/06/2024
31/05/2024

PUBLICIDADE
+ VISUALIZADAS