segunda, 27 de maio de 2024
Geral
10/05/2024 | 09:40

SC sedia evento de Defesa e Segurança focado em novas tecnologias

Responsável por 3,72% do PIB brasileiro em 2022, o setor de Defesa e Segurança vem se consolidando como estratégico para o país.  Diante desse cenário, a Federação das Indústrias de SC (FIESC) realiza, nos dias 16 e 17 de maio, a SC Expo Defense. O evento reforça a vocação catarinense e vai focar em tecnologia e inovação, trazendo discussões, troca de experiências e apresentação de produtos e projetos de base tecnológica de defesa. 
 
Após ser incluído como prioritário na nova política industrial do país, a expectativa é de que o tratamento estratégico que o governo federal tem dado ao segmento se reflita em mais investimentos e recursos para o desenvolvimento do setor, com impactos positivos para as indústrias nacionais.
 
“A nova fase da SC Expo Defense está totalmente alinhada com o novo momento do setor de defesa. Teremos um espaço para que startups possam apresentar seus projetos e conhecer as demandas das Forças Armadas Brasileiras para desenvolvimento conjunto de novas tecnologias”, explica o presidente da FIESC e do Conselho da Indústria de Defesa (Condefesa) da CNI, Mario Cezar de Aguiar. 
 
Entre as empresas brasileiras credenciadas como Empresas Estratégicas de Defesa (EEDs) e Empresas de Defesa (EDs), a maioria são micro e pequenas. “Envolvê-las em projetos de defesa significa fomentar a economia de um estado que possui nas MPEs uma grande força”, diz Aguiar.
 
Formato do evento
 
Além de uma área de exposição de indústrias e potenciais fornecedores de materiais para o segmento, o evento vai promover a aproximação entre a indústria, as Forças Armadas, centros de pesquisa e a academia, por meio de rodadas de negócios, palestras e um palco interativo, onde as empresas poderão apresentar seus produtos para os visitantes.
 
“Com foco em inovação e tecnologia, será possível conhecer protótipos e produtos inovadores, com a possibilidade de experimentação por meio de simuladores”, afirma o presidente do Condefesa da FIESC, Cesar Olsen. 
 
A Rodada de Oportunidades é um dos destaques da SC Expo Defense, com empresas e entidades apresentando suas demandas e necessidades para 40 empresas. Entre os participantes estão Marinha, Exército, Aeronáutica e Forças de Segurança. As empresas participantes poderão apresentar produtos e serviços a esses órgãos, além de tirar dúvidas sobre os processos de compra (editais e licitações, por exemplo).
 
Destaques da Programação
 
Diálogo de Defesa Brasil-Itália - Com o objetivo de fomentar novas parcerias comerciais entre empresas brasileiras e italianas no segmento de Defesa e Segurança, a SC Expo Defense vai sediar o Diálogo de Defesa Brasil-Itália. A iniciativa dos Ministérios da Defesa do Brasil e da Itália tem como foco identificar oportunidades de intercâmbio tecnológico e novos negócios entre empresas dos dois países. Durante o encontro, os participantes poderão debater áreas de interesse mútuo para cooperação em pesquisa, desenvolvimento e produção de produtos e serviços de defesa e promover o intercâmbio de tecnologias entre empresas da Base Industrial de Defesa (BID) brasileira e italiana.
 
Palestra de Fiona Murray -  Dame Fiona E. Murray é professora de empreendedorismo e decana associada para Inovação e Inclusão no MIT Sloan. Ela é co-diretora da Iniciativa de Inovação do MIT e atua como Diretora Acadêmica do Centro Legatum. O trabalho de Murray se concentra na transformação de investimentos em ciência e tecnologia em inovação, especialmente em startups de alta tecnologia. Além disso, é membro do conselho do Fundo de Inovação da OTAN, onde contribui para a direção estratégica e supervisão de investimentos em tecnologias inovadoras. Também é membro do conselho de Ciência e Tecnologia do Reino Unido. 
 
Empresas participantes 
 
A SC Expo Defense pretende conectar empresas de todos os portes e segmentos com as Forças Armadas, não somente as que produzem produtos ou serviços específicos de defesa e segurança. Apesar de focado em tecnologia e inovação, o evento está aberto a indústrias que possam fornecer materiais para as atividades de apoio e também materiais de consumo para o efetivo, que vão desde meias a alimentos, por exemplo. 
 
O evento vai contar com a participação da Marinha, Exército e Aeronáutica e já tem a confirmação da participação de empresas como Clemar Engenharia, Intelbras, Emgepron, Fundação CiTeb, Schaefer Yatchs, Imbel, Olsen, Altona, Dígitro, Viposa, Black Marine, SMC Technologic, 4C Foresee, entre outras.  
 
 
Boas perspectivas
 
Nova Indústria Brasil - Missão 6. A perspectiva da injeção de recursos não reembolsáveis por meio de chamadas públicas de subvenção econômica como as lançadas pela Finep, no valor de R$ 280 milhões, e de novas fontes de financiamento previstas na política do governo federal tem como meta alcançar a autonomia na produção de 50% das tecnologias críticas de maneira a fortalecer a soberania nacional no setor.
 
DEFARS - Além da previsão de investimentos por meio das chamadas públicas da Finep, os bons ventos para o setor também incluem discussões para que o Brasil seja signatário de um acordo com o Departamento de Defesa norte-americano.
A adesão ao chamado DEFARS, documento de regulação e compliance norte-americano que estipula regras para o fornecimento de materiais para as forças armadas e demais órgãos vinculados ao Departamento de Defesa dos EUA, permitiria a exportação de produtos e serviços brasileiros para o maior mercado de defesa do mundo e também para os demais países da OTAN e aliados dos Estados Unidos.

JORNAL IMPRESSO
24/05/2024
17/05/2024
10/05/2024
03/05/2024

PUBLICIDADE
+ VISUALIZADAS