domingo, 26 de maio de 2024
Economia
18/04/2024 | 22:32

Exportação de bens de capital cresce 11,3% no primeiro trimestre

O crescimento de exportações de bens de capital mais intensivos em tecnologia, como motores elétricos e partes de motores, foi de 11,3% no primeiro trimestre de 2024, contra igual período do ano anterior. O segmento mostrou valorização nos preços médios de janeiro a março na comparação com o primeiro trimestre de 2023, segundo análise do Observatório FIESC.
 
Outro setor que registrou preços médios maiores, o de madeira e móveis, também apresentou crescimento das exportações, de 13,5%, no primeiro trimestre. “O crescimento das exportações de bens de capital é muito animador, porque Santa Catarina se destaca como exportador de produtos de alto valor agregado. Isso se reflete em aumento da atividade industrial e potencializa a geração de novas vagas de trabalho”, afirmou Mario Cezar de Aguiar, presidente da Federação das Indústrias de SC (FIESC).
 
Efeito commodities
 
Na contramão dos preços de bens de capital, as commodities apresentaram recuo de preços médios de janeiro a março, em comparação com o mesmo período de 2023. Esse fator acabou prejudicando a balança comercial catarinense, já que os dois produtos mais relevantes para a pauta de exportações de SC - carnes de aves e de suínos - apresentaram queda nos valores exportados.
 
Embora as exportações catarinenses tenham caído 4% de janeiro a março deste ano, para US$ 2,6 bilhões, o volume de exportações (peso) cresceu 15,8%, para 1,9 milhões de toneladas. “O desempenho do volume de exportações foi recorde para os três primeiros meses do ano, alcançando o maior patamar da série histórica, desde 1997”, explicou João Pitta, economista do Observatório FIESC.
 
Importações
 
Santa Catarina atingiu a marca dos US$ 7,6 bilhões em importações no 1º trimestre de 2024, o que representou um crescimento de 7,8% em relação ao mesmo período do ano passado.
 
A importação de cobre foi destaque, incentivada em parte pelo ciclo de queda das taxas de juros no Brasil, favorecendo a produção local de máquinas e equipamentos. A compra de partes e acessórios para veículos cresceu 36%, beneficiando a indústria automotiva.
 
No setor de bens de consumo duráveis, destaque para o aumento de 59,2% nas importações de eletrodomésticos de cozinha e máquinas de lavar roupa, em função da manutenção do nível elevado do consumo das famílias.
 
Origens e Destinos
 
Entre as origens das importações catarinenses de janeiro a março, a China liderou o ranking, com US$ 3,3 bilhões negociados, um aumento de 18,8% em relação ao mesmo período em 2023. Os Estados Unidos vieram em seguida, com US$ 543,2 milhões, acompanhados pelo Chile, com US$ 481,8 milhões.
 
Os Estados Unidos seguiram como o principal destino das exportações catarinenses, e foram responsáveis por compras de US$ 416,9 milhões. A China é a segunda colocada entre os principais compradores, com US$ 250 milhões, seguida pela Argentina, com US$ 163,9 milhões.
 
Fonte: RCN

JORNAL IMPRESSO
24/05/2024
17/05/2024
10/05/2024
03/05/2024

PUBLICIDADE
+ VISUALIZADAS