segunda, 27 de maio de 2024
Economia
18/04/2024 | 22:06

Com parceria do BRDE, Aurora inaugura moderna unidade industrial em Chapecó

A Aurora Coop – terceiro maior grupo agroindustrial brasileiro da proteína animal – inaugurou nesta terça-feira (16), no Bairro Efapi, em Chapecó, uma das maiores e mais avançadas indústrias de processamento de carnes do Brasil. Designado de IACH II (Indústria Aurora Coop Chapecó II), o empreendimento amplia a presença da cooperativa no segmento de industrializados. O projeto exigiu investimentos totais da ordem de R$ 587 milhões (sendo R$ 245 milhões em máquinas e equipamentos industriais), entre recursos próprios e financiamento junto ao BNDES/FINEP. O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) é um parceiro histórico nos investimentos da cooperativa. Dos recursos investidos na nova unidade, R$ 156 milhões tiveram financiamentos operacionalizados pelo banco.
 
O presidente do BRDE, João Paulo Kleinübing, esteve presente na cerimônia de inauguração, e reforçou a importância do momento. “Essa iniciativa representa um marco significativo para a economia local e para o setor de processamento de carnes no Brasil. A parceria entre a Aurora Coop e o BRDE demonstra o compromisso com o desenvolvimento sustentável e a qualidade na produção de alimentos”, ressalta.
 
O presidente Neivor Canton destaca que a diversificação do portfólio busca fortalecer a posição da Aurora Coop no mercado brasileiro e, também, como player global. “É fundamental investir na produção e lançar linha de produtos inovadores, gerando valor para os nossos produtores rurais cooperados, colaboradores, clientes e consumidores, sem esquecer da gestão sustentável da cadeia produtiva”, assinalou.
 
Nova unidade
 
O novo complexo industrial ocupa uma área territorial de aproximadamente 15 hectares inseridos dentro uma gleba com 241 hectares. O conjunto é formado por 37 edificações (industriais, administração, suporte e tratamento de efluentes), totalizando área construída de 31.402 metros quadrados.
 
Os produtos se destinam para os mercados interno e externo, com previsão de exportação para o Reino Unido, Emirados Árabes Unidos (EAU) e União Europeia (UE). O faturamento  da nova indústria está projetado em R$ 86,2 milhões/mês, o que incrementará a receita operacional bruta da Aurora Coop para 2024 em 4,2%.
 
“A parceria impulsiona o desenvolvimento econômico, a criação de empregos, o aumento da produção e a geração de renda. O BRDE compartilha o compromisso da Aurora Coop com a sustentabilidade e a qualidade. Essa colaboração permite que a cooperativa alcance seus objetivos de maneira eficiente. Os investimentos conjuntos fortalecem toda a cadeia produtiva, desde os produtores rurais até os consumidores finais. Essa relação de confiança e cooperação é essencial para o sucesso contínuo da cooperativa”, ressalta o diretor de Acompanhamento e Recuperação de Crédito do BRDE, Mauro Mariani.
 
A nova indústria da Aurora Coop possui um elevado grau de automação, presente em todas as etapas do processo produtivo, em diferentes níveis, atingindo a robotização ao final das linhas.
 
A fábrica foi projetada e construída de forma a garantir a qualidade do processo e evitar o contrafluxo. Entre os diferenciais tecnológicos destacam-se a linha de formação com alta precisão de peso e formato; o congelamento por leito fluidizado; a equalização de temperatura com uso de nitrogênio; o sistema de grelhamento dos produtos; e os fornos de cozimento que garantem maior sabor e qualidade dos produtos cozidos.
 
A automação é plena no setor de embalagens, com robôs, empacotadoras, controles rigorosos de pesagem e geração de etiquetas.
 
Diferenciais de sustentabilidade estão presentes na nova planta industrial, com a utilização de cavaco como fonte de biomassa. Proveniente de florestas próprias de eucalipto, plantadas no entorno da fábrica, essa alternativa reduz o consumo de lenha e aumenta a eficiência na geração de calor e vapor. Embalagens, por outro lado, são do tipo monocamada, facilitando o processo de reciclagem.
 
A capacidade instalada para produção diária é de 176 toneladas de empanados, 88 toneladas de cozidos, 14,3 toneladas de desfiados, totalizando um volume de 278,3 toneladas/dia com operação em três turnos (22 horas trabalhadas). Com uma média de 25 dias trabalhados, a produção mensal atingirá 4.400 toneladas de empanados, 2.200 toneladas de cozidos e 357,5 toneladas de desfiados, totalizando 6.957,5 toneladas/mês. A nova indústria atingirá plena capacidade de produção em até sete anos.
 
Foram gerados de imediato 354 empregos diretos para iniciar as diversas linhas de produção. Porém, o quadro funcional chegará a 700 trabalhadores – quando atingir a plenitude produtiva – com a indústria operando de segunda-feira a sábado, em três turnos.
 
Quatro linhas de produção já estão ativas: frango desfiado, peito de frango cozido (íntegro, cubos e tiras), empanados grandes formados e empanados pequenos formados e cortes íntegros. A fábrica foi projetada prevendo a futura instalação de uma quinta linha, que poderá ser complementar às linhas existentes ou possibilitar a industrialização de novos produtos do mix da empresa.
 
Fonte: RCN

JORNAL IMPRESSO
24/05/2024
17/05/2024
10/05/2024
03/05/2024

PUBLICIDADE
+ VISUALIZADAS