segunda, 04 de março de 2024
Geral
31/01/2024 | 17:22

Quadrilhas usam nome da Febraban no golpe do 0800 para enganar clientes

A Febraban (Federação Brasileira de Bancos) alerta que golpistas estão enviando mensagens de SMS usando o nome da entidade informando sobre uma transação suspeita de valor alto em uma compra no varejo, solicitando que ele entre em contato com uma suposta central de atendimento para esclarecer a questão. 
 
No texto da mensagem aparece um número 0800, que supostamente seria uma central telefônica da Febraban. Em outra variante do golpe, os bandidos também usam nomes de bancos e de uma área de cartões de crédito. Eles se utilizam dessa técnica para trazer maior credibilidade para a mensagem. 
 
A Febraban esclarece que a entidade é uma associação civil sem fins lucrativos que reúne instituições financeiras do país. No desempenho de suas atividades, a entidade não tem relacionamento direto com clientes e usuários do sistema bancário. Desta maneira, ressalta que não contata pessoas físicas ou jurídicas por SMS, ligação telefônica, carta, e-mail, WhatsApp ou quaisquer redes sociais, para realização de procedimentos de segurança ou para efetivação de operações financeiras. Trata-se de modalidade de golpe. 
 
A Federação alerta que se trata de golpe de engenharia social, que usa técnicas para enganar o indivíduo para que ele forneça informações confidenciais, como senhas e números de cartões e, principalmente, induzir a pessoa a realizar transações financeiras para o golpista. 
 
Como funciona o golpe
 
Na mensagem, o golpista usa o nome da Febraban ou de alguma instituição financeira em mensagens como: 
 
- Compra aprovada em um determinado valor em alguma loja do varejo conhecida. Dizem que para confirmar, o cliente deve digitar o número 1, mas que caso desconheça a transação, o consumidor deve ligar para uma central de 0800.
 
Como a compra é falsa, ao ligar para a falsa central de atendimento, o golpista diz que a transação está em análise e que por isso ainda não aparece na fatura do cliente. E que para resolver o assunto, o consumidor deve fazer uma transação para regularizar o problema, ou ainda pede dados pessoais, como número de conta e senha, para cancelar a operação.
 
Como evitar
 
O cliente nunca deve fazer ligações para números de telefone (0800) recebidos através de SMS ou por outras mensagens. Os bancos ligam para os clientes para confirmar transações suspeitas, mas nunca pedem dados como senhas, token e outros dados pessoais nestas ligações. Também não pedem para que clientes façam transferências ou Pix ou qualquer tipo de pagamento para supostamente regularizar problemas na conta. Os bancos não pedem para o cliente fazer um estorno de transação através de um telefonema.
 
Em variações mais antigas do golpe, ao invés de mandar um SMS, o golpista faz uma ligação telefônica para o cliente com uma gravação simulando as URAs (Unidade de Resposta Audível) das instituições financeiras- tecnologia que permite que os clientes interajam com o sistema de atendimento das empresas. E também os golpistas podem ligar e se passar por atendentes.
 
Mais um artifício que também é usado pelos golpistas nas mensagens é afirmar que as milhas ou pontos do cartão do cliente estão vencendo. E pede para que o cliente ligue para a falsa central telefônica para que o consumidor não perca a vantagem. Ou ainda passam um link de site fraudulento que induzirá o cliente a fornecer dados bancários e pessoais. Também há casos de mensagens de falsos prêmios que induzem o cliente a fazer uma ligação para o bandido.
 

JORNAL IMPRESSO
01/03/2024
23/02/2024
16/02/2024
09/02/2024

PUBLICIDADE
+ VISUALIZADAS