segunda, 04 de março de 2024
Geral
26/01/2024 | 17:24

Na Fiesc, Alckmin defende financiamento à exportação e mais acordos comerciais

Na apresentação feita na Federação das Industrias de Santa Catarina, na manhã desta sexta-feira, 26, o vice-presidente Geraldo Alckmin, e ministro de Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, enumerou os princípios que norteiam as políticas públicas para o setor industrial, recentemente lançadas pelo Governo Federal, e reunidas no programa Nova Indústria Brasil, que prevê injetar R$300 bilhões em recursos até 2026 para desenvolver a indústria nacional..
 
Em tom descontraído, sem deixar de lado suas origens de professor e médico, o vice-presidente reconheceu o alto Custo Brasil e os fatores que impactam a atividade econômica: Juros - historicamente altos no Brasil e que afetam profundamente a competividade das empresas, mas que estão caindo; Câmbio que, quando em paridade real-dólar estimula a importação e que hoje, sem grande oscilação, está mais favorável aos exportadores e Imposto. Reconheceu a elevada carga tributária que pesa sobre a indústria e assegurou que as medidas previstas na recém aprovada Reforma Tributária irão beneficiar as indústrias, os exportadores e, portanto, Santa Catarina. "A reforma vai desonerar os investimentos, vai desonerar a exportação e vai beneficiar Santa Catarina como um estado exportador", acentuou.
 
Nesse sentido, defendeu o financiamento à exportação para o Brasil conquistar melhores posições no comércio internacional. Lembrou que a China financia seus exportadores e que, por isso, avançou sobre muitos mercados, inclusive o latino-americano. Disse que o país precisa fortalecer o Mercosul e recuperar os negócios com seus vizinhos, tomados pela China. "Precisarmos recuperar a América Latina;  o mercado intra-regional é fundamental", insistiu o vice-presidente. Lembrou dos altos volumes negociados entre Estados Unidos e Canadá; entre os países da União Europeia e entre os países asiáticos. "Na América Latina esse volume gira em torno de 26% do total  negociado pelos países", lamentou Alckmin. Ele destacou os acordos comercias realizados pelo Governo Federal e os que estão em andamento  e comemorou os resultados das exportações brasileiras em 2023. "O mercado global cresceu 0,8% e o Brasil dez vezes mais", revelou    
 
Proex - O vice-presidente destacou que o Programa de Financiamento à Exportação terá um aumento importante de recursos, saltando de R$ 600 milhões para R$ 1,3 bilhão.
 
Avaliada como positiva pela Fiesc, a política industrial abrange instrumentos financeiros, ações para melhorar o ambiente de negócios, contratação de compras públicas e 6 missões em áreas prioritárias.
 
O evento que foi aberto pelo presidente da Fiesc, Mário Cezar de Aguiar, com a presença da vice-governadora Marilisa Boehm e de outras inúmeras lideranças políticas.

JORNAL IMPRESSO
01/03/2024
23/02/2024
16/02/2024
09/02/2024

PUBLICIDADE
+ VISUALIZADAS