terça, 27 de fevereiro de 2024
Geral
15/01/2024 | 16:14

Penha recebe módulos da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Gravatá, marco no saneamento básico do município

Penha recebeu os módulos da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Gravatá na última semana, a primeira do processo de universalização da coleta e tratamento básico do município. A ETE representa um grande passo para as políticas ambientais da cidade, o que proporcionará, já a curto prazo, uma melhora na qualidade de vida da população atendida pela estação e um grande salto ambiental, que muda o patamar de Penha em saneamento básico.
 
A instalação dos módulos foi um grande desafio logístico e envolveu um complexo sistema de guindastes para o manuseio dos equipamentos que integrarão a ETE Gravatá. Reginalva Mureb, presidente da Águas de Penha, explica que o avanço na cobertura de esgotamento sanitário no município é um exemplo do compromisso da Águas Penha em contribuir para a saúde da população e o desenvolvimento econômico, social e turístico do município.
 
O prefeito de Penha, Aquiles da Costa, destaca que a implantação do sistema de esgoto é um avanço histórico para a cidade. "A construção da ETE é um avanço sem precedentes. É qualidade de vida, saúde, valorização imobiliária, balneabilidade e turismo. Estamos imensamente felizes e com a certeza de que a construção irá mudar a realidade do município e das pessoas que aqui vivem", pontua.
 
O primeiro módulo da ETE terá capacidade para tratar 12 litros por segundo de esgoto e destaca-se pela tecnologia de alta eficiência no processo de tratamento. Também atenderá a rigorosos parâmetros ambientais, com o uso de uma tecnologia que alia alta eficiência de tratamento, inibe a geração de odor e otimiza o espaço físico.
 
Com a chegada dos módulos, as próximas etapas da obra da ETE são a instalação dos equipamentos hidromecânicos, sistema elétrico e conclusão das obras de construção civil. Para atender o bairro Gravatá e a região da praia de São Miguel, além da Estação de Tratamento de Esgoto, a região terá 16,6 quilômetros de rede de coletora; 1.444 metros de linhas de recalque; sete estações elevatórias e interligará 1.298 imóveis ao sistema. A previsão é de que, até 2033, Penha tenha 90% de cobertura de tratamento de esgoto.
 

JORNAL IMPRESSO
23/02/2024
16/02/2024
09/02/2024
02/02/2024

PUBLICIDADE
+ VISUALIZADAS