quinta, 30 de junho de 2022
Cultura
07/06/2022 | 17:38

Itajaí 162 anos: FGML realiza noite de lançamentos na quinta-feira (09)

A Fundação Genésio Miranda Lins (FGML) realiza nesta quinta-feira (09), às 19h, uma noite de lançamentos comemorativa aos 162 anos de emancipação da cidade. Na oportunidade, será apresentada a interface do novo site da Fundação, os Planos Museológicos e haverá ainda o lançamento do livro 1818, de autoria do jornalista Rogério Pinheiro. O evento ocorrerá no Museu Histórico de Itajaí.
 
O diretor executivo da Fundação Genésio Miranda Lins, Fabrício Marinho, explica que o site do órgão estava desatualizado e a Secretaria de Tecnologia (Setec) trabalhou no projeto para atualização da página, em parceria com servidores públicos efetivos da FGML. “Tivemos atualização de textos, agenda, fotos, anuários e outros dados em geral. Nossa prioridade era atualizar e recolocar no ar. O site é um canal importante e com isto esperamos aproximar ainda mais a comunidade da Fundação Genésio Miranda Lins”, ressalta Marinho.
 
Os Planos Museológicos do Museu Histórico de Itajaí e do Museu Etno-Arqueológico de Itajaí também estão entre as novidades que serão socializadas no evento. Trata-se de ferramentas de planejamento estratégico obrigatório, previsto na Lei Federal referência para o setor (nº 11.904/2009) e no Decreto Federal nº 8.124/2013.
 
O processo de elaboração dos planos envolveu equipes multidisciplinares, compostas por gestores, museólogos, historiadores, arquitetos e outros profissionais. “A construção dos planos foi coletiva, participativa e legítima. A partir dele identificamos diversas questões que norteiam as prioridades das ações a serem desenvolvidas pelos museus”, afirma o diretor executivo da FGML.
 
Sobre o livro
 
O livro “1818 — a história da colônia criada por Dom João VI que foi alvo de disputa entre brasileiros e portugueses no século XIX”, de autoria do jornalista Rogério Pinheiro e que será lançado nesta quinta-feira, conta os bastidores da criação da Colônia Nova Ericeira em 1818 e a guerra que se travou entre brasileiros e portugueses pelo seu controle. Na obra, de 180 páginas, o autor aborda também os motivos que levaram ao fim da Nova Ericeira, que é considerada o 1º empreendimento pesqueiro do Brasil.
 
A Colônia Nova Ericeira foi criada por ordem de Dom João VI, no dia 25 de março de 1818, na Enseada das Garoupas, hoje cidade de Porto Belo. Cerca de 400 pessoas vieram da freguesia da Ericeira (Portugal), distante 40 quilômetros de Lisboa, para o país. Além de Itajaí, fizeram parte da colônia as cidades de Balneário Camboriú, Balneário Piçarras, Barra Velha, Bombinhas, Camboriú, Governador Celso Ramos, Itapema, Navegantes, Penha, Porto Belo e Tijucas.
 
Para produzir o livro-reportagem foram analisados mais de 10 mil documentos, entre registros paroquiais, periódicos, artigos e livros. Em Portugal, foram realizadas pesquisas in loco no Arquivo da Torre do Tombo em Lisboa, no Arquivo Público Dom Pedro V em Mafra e da Santa Casa de Misericórdia da Ericeira. No Brasil, as pesquisas foram centradas nos arquivos públicos do Estado de Santa Catarina, de Florianópolis e de Itajaí, além do acervo digital da Biblioteca Nacional e da Hemeroteca Catarinense.

JORNAL IMPRESSO
24/06/2022
17/06/2022
10/06/2022
03/06/2022

PUBLICIDADE
+ VISUALIZADAS