quinta, 23 de setembro de 2021
Geral
08/09/2021 | 16:52

Coordenadora do CAPS detalha ações do “Setembro Amarelo” na tribuna

A coordenadora do Centro de Atenção Psicossocial – CAPS de Navegantes, Luciane Boza Delgado, utilizou a tribuna durante a 44ª sessão ordinária, realizada na segunda-feira (6), para detalhar as ações do Município de Navegantes relacionadas à promoção da saúde mental e sua importância na prevenção ao suicídio, incluídas no mês “Setembro Amarelo”.
Delgado atendeu ao convite do vereador Paulo Melzi (MDB), autor da Lei Municipal nº 3.429, que instituiu o evento no calendário de Navegantes para estimular a realização de campanhas de prevenção ao suicídio. Na ocasião, a coordenadora do órgão apresentou diversas informações importantes relacionadas à saúde mental, dicas importantes sobre os fatores de risco para reconhecer indícios de depressão em familiares ou amigos e alguns mitos sobre o suicídio.
“Este é um tema muito difícil e a aprovação da Lei Municipal sobre o tema deu muita força à nossa atuação. Precisamos observar o comportamento dos familiares e amigos, este é o primeiro passo para evitarmos o suicídio. Em 2018, atendemos 8.450 pessoas no CAPS. No ano seguinte, 9.077. E em 2020 registramos 5.996 atendimentos. É muita gente para uma cidade de pouco mais de 80 mil habitantes. Por isso, se estiver com dificuldades, procure ajuda profissional”, afirmou.
O CAPS conta com equipe de aconselhamento, psiquiatra, psicólogo, enfermeira e está localizado à Rua Vereador Gildo Batista, n° 996, esquina com a Avenida Conselheiro João Gaya, Centro. O serviço de saúde atende de segunda à sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h30 às 17h30. O telefone para contato é o (47) 3185-2008.
A abordagem do tema na tribuna faz parte da programação da Câmara Municipal de Navegantes para o “Setembro Amarelo”, campanha nacional de conscientização da população sobre a prevenção do suicídio, criada em 2015 pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP).
 
Agir salva vidas
 
No Brasil, segundo informações da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), os casos passam de 13 mil por ano, podendo ser maiores em decorrência das subnotificações. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se que a cada 40 segundos uma pessoa morre por suicídio no mundo. Já ao que se refere às tentativas, uma pessoa atenta contra a própria vida a cada três segundos.
A ajuda pode vir de um amigo, parente, colega de trabalho ou escola, professores, profissionais de saúde especializados e também dos voluntários do Centro de Valorização da Vida (CVV), treinados para conversar com quem esteja passando por dificuldades e que possa pensar em tirar sua vida. Para conversar com um voluntário, basta ligar para o telefone 188, gratuito, que funciona 24 horas. Também é possível mandar um e-mail ou falar pelo chat, que podem ser acessados pelo site www.cvv.org.br.

JORNAL IMPRESSO
17/09/2021
10/09/2021
03/09/2021
27/08/2021

PUBLICIDADE
+ VISUALIZADAS