quarta, 14 de abril de 2021
Saúde
07/04/2021 | 15:21

Maior consciência sobre a higiene para este Dia Mundial da Saúde

*Por José Renato Demian Ferreira
 
 
O objetivo do Dia Mundial da Saúde (7 de abril) é garantir o melhor nível de saúde para as pessoas em todo o mundo, por meio da divulgação de temas importantes para a sociedade e que possam contribuir com a melhoria da qualidade de vida. Neste 2021, a data ganha ainda mais relevância. E não poderia ser diferente. Tivemos que vivenciar – e ainda estamos – uma pandemia da magnitude da Covid-19 para calçar ainda mais esse caminho. Quero crer que se ainda existia alguma dúvida sobre a conexão direta da higiene com a saúde, que isso tenha, definitivamente, ficado para trás.
 
E não importa a instância: a batalha é de todos e também de cada um de nós. O momento atual tem evidenciado isso, com as pessoas entendendo, na prática, a importância da higiene pessoal. Produtos como álcool 70%, máscaras faciais e desinfetantes de superfície agora são uma parte essencial de nossas vidas. Hoje, especialistas apostam que lavar as mãos com sabão em abundância e passar álcool em gel já sejam hábitos tão normais quanto escovar os dentes. A boa notícia, a despeito, obviamente, do momento dramático que estamos vivendo, é que essa melhoria da qualidade da higiene deverá impulsionar o crescimento econômico e social global.
 
Com a conscientização pessoal em alta, a coletiva tende a seguir o fluxo. Na verdade, mais do que isso, uma vez que escritórios, escolas, empresas, indústrias, espaços públicos, ou seja, todo e qualquer local ocupado por pessoas, deverão seguir rigorosos protocolos de limpeza e higiene. Essa mudança permanente nos hábitos traz consigo muitos pontos positivos nos aspectos social e financeiro. A crescente demanda representará importantes e necessários investimentos e, mesmo quando o caos da Covid-19 diminuir, as mudanças no estilo de vida e a conscientização sobre as práticas de higiene estarão mais sedimentadas no pensamento geral. 
 
E, afora todas as questões já largamente conhecidas de saúde pública que precisam ser cuidadas perenemente, também não devemos perder de vista que esta não é a única nem a última pandemia a afetar o mundo. Existem muitas doenças previamente existentes e contagiosas, dentre outras condições de higiene que impactam diretamente na saúde, que causam muitas mortes todos os anos. Assim, a necessidade de monitorar constantemente os altos níveis de higienização também será sentida de agora em diante. Importante reforçar que, quando se adota hábitos de higiene, é possível economizar cifras bastantes representativas.
 
Sob esse aspecto, e diante dos avanços necessários para acompanhar tais mudanças, a tecnologia pode contribuir de maneira bastante substancial a partir dos diversos equipamentos disponíveis no mercado para limpeza e desinfecção de ambientes. De lavadoras de alta pressão, sanitizadoras, limpadoras de pisos, aspiradores de pó e líquidos a máquinas que economizam água e energia, a tecnologia evoluiu e chegou ao nível de não apenas facilitar a vida de operadores e trabalhadores, mas também reduzir drasticamente o descarte no meio ambiente. Usar máquinas também é proteção a esses profissionais porque evitam que tenham contato direto com as superfícies contaminadas e sujas.
 
 
* José Renato Demian Ferreira é Diretor Geral da JactoClean – empresa do Grupo Jacto, que dispõe de equipamentos, sistemas e serviços para a limpeza e sanitização, atendendo os mercados residencial, comercial, profissional, industrial e agronegócio.

JORNAL IMPRESSO
09/04/2021
01/04/2021
26/03/2021
19/03/2021

PUBLICIDADE
+ VISUALIZADAS