quinta, 25 de fevereiro de 2021
GERAL
17/12/2020 | 17:44

TRE-SC doa mais de 400 microcomputadores para o projeto Novos Caminhos

O Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina doou, nesta quinta-feira (17), 428 microcomputadores para o projeto Novos Caminhos, programa idealizado pela Associação dos Magistrados Catarinenses (AMC) em conjunto com a Coordenadoria Estadual da Infância e da Juventude (CEIJ) do Tribunal de Justiça de Santa Catarina e da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC). Além dos microcomputadores, foram doados 336 monitores, 27 impressoras, 44 kits de caixas de som e quatro scanners de mesa.

Durante a reunião realizada na Sede do TRE-SC para oficializar a doação, o presidente do Tribunal, desembargador Jaime Ramos, afirmou que ?nós do TRE catarinense estamos muito contentes em poder ajudar esse programa que auxilia muitas crianças e adolescentes. Nós já vimos vários frutos que surgiram desse programa, que são fantásticos. Quero parabenizar a AMC por abraçar essa causa e aproveito para cumprimentar os dirigentes e as instituições que se envolvem nesse projeto. Nós do TRE-SC estamos sempre à disposição para tudo que for possível?.

O presidente em exercício da AMC, juiz Vitoraldo Bridi, agradeceu a doação do TRE-SC e enfatizou: ?para nós da Associação esse projeto é extremamente importante, porque estamos trabalhando com crianças, procurando dar conhecimento para que elas possam, no futuro, ser efetivamente cidadãs, saindo dessas casas de acolhimento com um emprego. Com esses equipamentos doados elas poderão adquirir conhecimento, por meio dos cursos técnicos da FIESC, nas próprias casas lares onde estão abrigadas. A importância dessa doação que o TRE faz é extrema, porque nós vamos conseguir colocar em cada uma das casas no mínimo um equipamento para que elas possam ter essa qualificação profissional e educacional?.

O programa existe desde 2013 e atende 200 abrigos e casas lares no estado, que contam com aproximadamente 1.800 crianças e adolescentes acolhidos. O seu principal objetivo é auxiliar jovens que estão prestes a sair das casas de acolhimento, pelo limite de idade, oferecendo alternativas de qualificação para o mercado de trabalho, por meio de cursos profissionalizantes, além do encaminhamento para vagas de emprego em empresas parceiras do projeto.

Além disso, o programa desenvolve as potencialidades e contribui para a construção da autonomia de crianças e adolescentes que se encontram abrigados em casas lares, com o intuito de proporcionar a perspectiva de uma vida adulta com qualidade e dignidade. Em 2020, o projeto atendeu 520 adolescentes acolhidos, dos quais 132 conseguiram uma colocação no mercado de trabalho.

Por conta da pandemia, percebeu-se que muitas das instituições atendidas possuiam apenas um computador. Com o intuito de combater a precariedade da inclusão digital dos atendidos pelo programa, a AMC solicitou ao TRE-SC a possibilidade de doação de máquinas que já não estavam mais sendo utilizadas pela instituição, no que o Tribunal prontamente atendeu.

O projeto ainda conta com o apoio da Ordem dos Advogados do Brasil de Santa Catarina (OAB/SC), do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo de Santa Catarina (Fecomércio), da Associação Catarinense de Medicina (ACM) e da Fundação de Estudos Superiores de Administração e Gerência (FESAG).

Também estiveram presentes na reunião, por parte do TRE-SC, o vice-presidente e corregedor regional eleitoral, desembargador Fernando Carioni; os juízes do Pleno Francisco Delpizzo Miranda, Marcelo Pons Meirelles e Renato Boabaid; o diretor-geral, Daniel Sell; e o secretário de Administração e Orçamento, Eduardo Cardoso. Além do presidente em exercício da AMC, também participou do encontro a coordenadora de eventos da instituição, Andrea da Silva.

Por Assessoria de Comunicação Social do TRE-SC
Com informações da AMC

Compartilhar
JORNAL