sexta, 22 de janeiro de 2021
GERAL
25/11/2020 | 16:38

Itajaí tem quarto mês consecutivo de alta na geração de empregos

Itajaí registrou o quarto mês consecutivo de crescimento na geração de empregos. Foram 2.701 novas carteiras assinadas entre os meses de junho e setembro de 2020. Essa é uma forte recuperação das baixas ocasionadas no auge da pandemia de coronavírus no primeiro semestre, entre os meses de março e maio.

A rápida recuperação da economia e a retomada do saldo positivo de contratações tem o Porto de Itajaí como seu maior impulsionador. Em outubro, a autarquia registrou crescimento de 33% em relação ao mesmo período do ano passado, melhor marca desde 2013. Para o Chefe de Gabinete, Giovani Testoni, a manutenção das atividades portuárias é um dos fatores, mas não o único. ?Mais do que seguir trabalhando, o nosso Porto segue crescendo em movimentação de cargas. Somos o único no Brasil a registrar aumento de importações e exportações em todo o período?, afirma Testoni.

Os dados positivos do Porto de Itajaí refletem em todos os setores econômicos. ?O Porto é a mola mestra de toda nossa economia, seu crescimento afeta positivamente na vida dos nossos cidadãos?, afirma o prefeito Volnei Morastoni. ?O desempenho da movimentação portuária é o principal fator na geração de mais empregos, maior velocidade na retomada da economia e seu bom desempenho minimiza as dificuldades encontradas na pandemia?, completa Giovani Testoni.

Na análise geral de 2020 de contratações e demissões, Itajaí mantém um saldo positivo com 721 novos postos formais de emprego. Desempenho muito acima de cidades como Blumenau, Florianópolis, Lages e Criciúma que registram entre janeiro e setembro um déficit empregatício. Ou seja, ao contrário de Itajaí, nestes locais houve mais demissões que admissões neste ano.

Com 1.004 novas vagas, setembro registrou o quarto mês consecutivo de aumento de novos empregos e também o quarto melhor mês do ano para Itajaí. Fevereiro sustenta a melhor marca com 1.294 empregos gerados, seguido por julho (1.132 novas carteiras assinadas) e janeiro (1.100).

Os números são divulgados pelo Ministério do Trabalho por meio do Novo Caged. Os dados consideram as informações do Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (eSocial), Sistema do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e Empregador Web que substituiu o cálculo clássico do CAGED em janeiro deste ano. 

Compartilhar
JORNAL