sexta, 23 de outubro de 2020
01/10/2020 - 16:59

Auxílio emergencial movimenta economia local, aponta pesquisa do Sindilojas

Uma pesquisa realizada pelo Sindilojas ? Sindicato dos Lojistas de Itajaí, diretamente com os seus associados, mostrou que o auxílio emergencial vem trazendo um impacto significativo no comércio da região. De acordo com a entidade, 57% dos empresários afirmaram que os seus clientes vêm usando parte do benefício para manter as suas contas em dia. 
 
Dados divulgados recentemente pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) também mostram que o desempenho positivo, apresentado pelo varejo nos últimos meses, está relacionado ao pagamento do auxílio emergencial. No mês de julho as vendas no varejo do país tiveram crescimento de 5,2%, em comparação ao mês anterior. E nos meses de junho e maio já havia sido registrado um crescimento de 8,5% e 12,3%, respectivamente. 
 
A pesquisa do Sindilojas foi aplicada ao longo do mês de setembro com os associados do Sindicato nas cidades de Itajaí, Navegantes, Penha, Balneário Piçarras, Ilhota e Luiz Alves. ?O dinheiro recebido via auxílio emergencial girou em nosso comércio local. E se movimentou o comércio, como sabemos, também gerou demandas para a indústria. Todos saem ganhando com isso?, observou o Presidente do Sindilojas Itajaí, Bento Ferrari.
 
A empresária Neila Oldoni, proprietária de uma loja no bairro São Vicente, em Itajaí, também reconhece que o auxílio emergencial trouxe um respiro para o comércio. ?Com certeza a entrada desse dinheiro na economia fez o meu negócio ter um giro maior de vendas e movimentou o nosso caixa?, afirmou.
 
A pesquisa do Sindilojas Itajaí também mostrou que as prestações pagas pelos consumidores da região, com ajuda do auxílio emergencial, têm valores entre R$100 e R$200, conforme apontaram 88,8% dos comerciantes associados que responderam à pesquisa. 
 
Redução no valor do auxílio emergencial pode impactar o varejo
 
No mês de julho, o Auxílio Emergencial foi a única fonte de renda para cerca de 4,4 milhões de famílias no país, de acordo com dados divulgados pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). No início de setembro o Governo Federal oficializou a prorrogação do auxílio emergencial por mais 4 parcelas, no entanto, o benefício foi reduzido para R$300.  
 
Neila acredita que a queda no valor do auxílio emergencial pode refletir nos resultados das vendas nos próximos meses. ?Neste momento em que os empregos ficaram comprometidos, muitas pessoas usaram este dinheiro para sustentar suas famílias. Sabemos que muita gente já voltou a trabalhar, mesmo que na informalidade, mas a redução deste valor girando na economia vai fazer falta no comércio?, afirma.
Sexta, 16 de outubro de 2020
UTILIDADE PÚBLICA SEMASA
anuncie no Jornal | comunicar erro | fale conosco
Todos os direitos reservados - 2009-2015 Jornal dos Bairros