segunda, 21 de setembro de 2020
11/09/2020 - 16:16

Com a pandemia, número de mortes por infarto e AVC cresceram 31% no Brasil: saiba como prevenir

No mês global de prevenção aos problemas cardiovasculares, Cardioprime reforça importância de hábitos, acompanhamento preventivo e observação dos sinais

Todos os anos, o mês de setembro é dedicado a relembrar a importância dos cuidados com a saúde do coração. O Setembro Vermelho é um movimento global que reúne hospitais, instituições e profissionais em torno do tema. Em 2020, com a pandemia, este período ganhou ainda mais importância. Isso porque o número de mortes por infartos e AVCs cresceu 31% no Brasil desde o aumento do contágio pelo coronavírus, segundo uma pesquisa da Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil) em parceria com a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC).

De acordo com o cardiologista e um dos diretores da Cardioprime, Humberto Tridapalli, a demora na busca do atendimento é um dos motivadores do aumento nos números. ?Nosso grande trabalho é pela prevenção: quanto mais as pessoas se conscientizarem sobre a importância de estar atento, fazer os exames rotineiramente e ter hábitos saudáveis, menos elas chegarão às emergências com um quadro irreversível?, comenta. 

Prevenção

Todos os hábitos impactam diretamente no quadro cardiovascular: rotina de exercícios, alimentação, consumo de álcool e cigarro, estresse. Por isso, a prevenção aos problemas do coração não está associada apenas a uma ação. ?Por isso que cuidar da saúde do coração é prezar pela vida?, resume Humberto.

Além de zelar por esses hábitos, é importante conversar com o cardiologista de confiança para estabelecer uma periodicidade de exames. Não existe uma regra para o volume de idas ao consultório. Isso varia de acordo com o histórico do indivíduo e da família, além dos sintomas e hábitos que ele cultiva. Mas é ideal que esse mapeamento seja realizado e cumprido.

Os exames mais comuns são o eletrocardiograma, exame ergométrico e as checagens do hemograma. 

Quando procurar um hospital 

Um dos pontos essenciais para evitar a mortalidade por infartos e AVCs é procurar o hospital ao perceber os sintomas de que algo não está bem. ?Dor no peito ? em movimento ou não ? nunca é um bom sinal?, explica Humberto. ?Caso ela evolua ou seja acompanhada de formigamento no braço esquerdo ou dores na região do pescoço, é preciso procurar um atendimento o mais breve possível?, complementa. 

Por conta do medo do contágio pelo novo coronavírus, os pacientes chegam ao hospital em situação cada vez mais grave. ?Como a evolução do quadro é rápida, o tempo de chegada é decisivo para que o tratamento consiga salvar a vida do paciente?, comenta. Todos os hospitais seguem protocolos de segurança recomendados pelas organizações de saúde. 

------------------------------------------------------------------------------

Todos os anos, o mês de setembro é dedicado a relembrar a importância dos cuidados com a saúde do coração. O Setembro Vermelho é um movimento global que reúne hospitais, instituições e profissionais em torno do tema. Em 2020, com a pandemia, este período ganhou ainda mais importância. Isso porque o número de mortes por infartos e AVCs cresceu 31% no Brasil desde o aumento do contágio pelo coronavírus, segundo uma pesquisa da Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil) em parceria com a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC).

De acordo com o cardiologista e um dos diretores da Cardioprime, Humberto Tridapalli, a demora na busca do atendimento é um dos motivadores do aumento nos números. ?Nosso grande trabalho é pela prevenção: quanto mais as pessoas se conscientizarem sobre a importância de estar atento, fazer os exames rotineiramente e ter hábitos saudáveis, menos elas chegarão às emergências com um quadro irreversível?, comenta. 

Prevenção

Todos os hábitos impactam diretamente no quadro cardiovascular: rotina de exercícios, alimentação, consumo de álcool e cigarro, estresse. Por isso, a prevenção aos problemas do coração não está associada apenas a uma ação. ?Por isso que cuidar da saúde do coração é prezar pela vida?, resume Humberto.

Além de zelar por esses hábitos, é importante conversar com o cardiologista de confiança para estabelecer uma periodicidade de exames. Não existe uma regra para o volume de idas ao consultório. Isso varia de acordo com o histórico do indivíduo e da família, além dos sintomas e hábitos que ele cultiva. Mas é ideal que esse mapeamento seja realizado e cumprido.

Os exames mais comuns são o eletrocardiograma, exame ergométrico e as checagens do hemograma. 

Quando procurar um hospital 

Um dos pontos essenciais para evitar a mortalidade por infartos e AVCs é procurar o hospital ao perceber os sintomas de que algo não está bem. ?Dor no peito ? em movimento ou não ? nunca é um bom sinal?, explica Humberto. ?Caso ela evolua ou seja acompanhada de formigamento no braço esquerdo ou dores na região do pescoço, é preciso procurar um atendimento o mais breve possível?, complementa. 

Por conta do medo do contágio pelo novo coronavírus, os pacientes chegam ao hospital em situação cada vez mais grave. ?Como a evolução do quadro é rápida, o tempo de chegada é decisivo para que o tratamento consiga salvar a vida do paciente?, comenta. Todos os hospitais seguem protocolos de segurança recomendados pelas organizações de saúde. 

------------------------------------------------------------------------------

anuncie no Jornal | comunicar erro | fale conosco
Todos os direitos reservados - 2009-2015 Jornal dos Bairros