quarta, 08 de abril de 2020
20/02/2020 - 10:19

Gás Natural Liquefeito: uma oportunidade para SC, por Luiz Fernando Vampiro

De todas as mudanças ocorrendo no setor petrolífero brasileiro, a do gás natural é a mais evidente e necessária. Aqui em Santa Catarina, a oferta do gás natural é um desafio urgente. A indústria, o comércio, os postos de combustível e os consumidores residências de todas as regiões seguem a tendência mundial de aumento de consumo deste combustível, porém a distribuição atual não atende à demanda que torna-se urgente. Ao encontro desta necessidade, e do fim do monopólio da Petrobrás, o Gás Natural Liquefeito (GNL) surge como uma oportunidade para potencializar o desenvolvimento catarinense. Moderno e de fácil distribuição, se importado ao solo de nosso Estado, o GNL poderá garantir a competitividade necessária para o crescimento do consumo.

Ao ser produzido por meio de um processo criogênico, na qual o gás natural é resfriado a uma temperatura de -162°C, o volume do GNL é reduzido em aproximadamente 600 vezes, o que facilita a logística de transporte. Por usa vez, o transporte do GNL é feito por carretas que mantêm o gás natural no estado líquido, desde a planta de liquefação de gás até as estações de regaseificação instaladas nos usuários finais, onde o gás volta ao estado gasoso nas condições ideais de utilização. O modal é ideal para maiores distâncias ou grandes volumes adquiridos pelos usuários finais de gás, podendo ser utilizado também por consumidores menores.

Investidores de diversos lugares do mundo já manifestam interesse em vender o GNL ao Brasil. Via navio, o combustível poderá ser recebido em Santa Catarina por uma unidade flutuante que faria a distribuição para o resto do Estado. Essa alternativa de gás não tem monopólio no Brasil o que facilita seu acesso e o grupo da Noruega, Sobrax, já trabalha junto ao Porto de Imbituba o projeto da unidade flutuante.

Alguns desafios precisam ser vencidos para a obtenção das autorizações, licenças, contratações e obras, as quais já estão sendo trabalhadas pelos proponentes. Nosso trabalho agora é junto com o governo do Estado dar respaldo a esta alternativa de combustível, que em outros lugares do mundo já é de uso regular e facilitado.

O GNL poderá trazer para o mercado de gás natural uma maior diversidade de oferta. Diante do novo mercado aberto do Gás, temos agora a oportunidade de ampliar a concorrência e garantir mais competitividade a nossa indústria e comércio, bem como maior acesso e melhor preço para os consumidores em geral.

Espera-se com boas perspectiva que em futuro pouco distante tenhamos operando aqui está importante ferramenta de desenvolvimento e geração de emprego e renda.


 

Por Luiz Fernando Vampiro (MDB), deputado estadual e presidente da Frente Parlamentar do Gás


 

anuncie no Jornal | comunicar erro | fale conosco
Todos os direitos reservados - 2009-2015 Jornal dos Bairros