quarta, 13 de novembro de 2019
06/11/2019 - 11:06

Vereadora Jane Stefenn quer regularizar feiras e eventos temporários em Camboriú

Projeto busca coibir venda de produtos e serviços principalmente em ruas e calçadas da cidade. Documento foi reprovado pelos vereadores de Camboriú em 2018
A vereadora Jane Stefenn (Rede) protocolou, na Câmara de Vereadores de Camboriú, um projeto que busca regularizar a realização de feiras e eventos temporários com comercialização a varejo. Com a lei, ficará proibida a venda de produtos, bens e serviços nas ruas e calçadas da cidade. O projeto será votado em duas sessões e, se aprovado, seguirá para sanção do prefeito Elcio Kuhnen.
 
Esta é a segunda vez que Jane protocola o projeto. Em março de 2018, os vereadores votaram contra a ideia para resguardar a realização do Congresso de Gideões. Na ocasião, a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Camboriú e a Associação Comercial e Empresarial de Balneário Camboriú e Camboriú (Acibalc) manifestaram apoio pela aprovação da lei. ?Vou trazer a discussão a tona novamente, como forma de valorizar empresários do município e fortalecer a economia local. Já há uma lei estadual, aprovada pela Assembleia Legislativa, que regulariza as feiras e eventos temporários nos municípios catarinenses, mas estou tentando adaptá-la para a realidade de Camboriú?, explica a vereadora.
 
O projeto de lei proíbe o funcionamento das feiras principalmente em datas que antecedem o Natal, Páscoa, dias das mães, pais e crianças; e veda o comércio de produtos contrabandeados ou falsificados. Os estandes serão permitidos em espaços privados, que ofereçam segurança e higiene, e a venda de mercadorias só será feita mediante expedição de nota fiscal. Todos os participantes deverão apresentar crachá de identificação e exemplar do Código de Defesa do Consumidor.
 
Outro artigo do projeto estipula a criação de um posto de atendimento para reclamações dos consumidores e troca de produtos. O local deve funcionar até 90 dias depois da conclusão da feira ou evento, considerando as especificidades de produtos duráveis e não duráveis. Se a lei for aprovada, as empresas organizadoras ou unidades comerciais que não cumprirem com o previsto sofrerão penalidades ? interdição, apreensão dos bens e multa de 30 unidades fiscais (UFMs).
Quarta, 13 de novembro de 2019
PM prende homem por furto em BC
Quarta, 13 de novembro de 2019
Inep divulga hoje gabaritos oficiais do Enem
Terça, 12 de novembro de 2019
Ressorteio no Detran-SC
Terça, 12 de novembro de 2019
Segunda Instância
Terça, 12 de novembro de 2019
Dois lados
Terça, 12 de novembro de 2019
Presidente da Alesc
anuncie no Jornal | comunicar erro | fale conosco
Todos os direitos reservados - 2009-2015 Jornal dos Bairros