segunda, 11 de novembro de 2019
09/07/2019 - 15:16

PGE garante cobrança de quase R$ 1 milhão de ICMS de empresa importadora

Foto: Arquivo/ Secom

A Procuradoria Geral do Estado de Santa Catarina (PGE/SC) garantiu a exigibilidade de quase R$ 1 milhão do imposto ICMS aos cofres públicos catarinenses. Em ação que discutia se a empresa importadora deveria ou não pagar o imposto, a Justiça decidiu, atendendo à defesa feita pela PGE, que os valores eram devidos ao Estado. A decisão da Quinta Câmara de Direito Público do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) foi publicada na sexta-feira, 5.

A execução fiscal foi ajuizada pelo Estado em 2011. A empresa, caracterizada como trading company (que atua como intermediária no processo de importação entre a fabricante e a compradora), não concordou com a cobrança, alegando ser mera prestadora do serviço de importação, não havendo transferência de mercadoria que justificasse o pagamento de ICMS.

A PGE, no entanto, ressaltou que a própria Constituição Federal estabelece a cobrança de imposto sobre circulação de mercadorias e prestação de serviços em relação à importação de bem ou mercadoria e que o sujeito responsável pelo pagamento é exatamente o importador, no caso a trading company.

?Quem promove a nacionalização e a entrada das mercadorias oriundas do estrangeiro, quem registra a declaração de importação, quem solicita a licença de importação, quem informa à Alfândega o nome do futuro e possível adquirente das mercadorias, quem efetivamente possibilita o recolhimento do ICMS e o destaca quando emite nota fiscal de saída após internar as mercadorias em seu ativo e registros contábeis (entrada), é a pessoa física ou jurídica que efetua a importação?, destacou.

O juiz da Comarca de Itajaí deu razão ao Estado e decidiu que a cobrança do imposto era devida, ressaltando não haver dúvidas a respeito da incidência do ICMS nos casos de importação de mercadorias por trading companies. A empresa, então, recorreu ao TJSC, que, mais uma vez, deu ganho de causa à Procuradoria Geral do Estado e manteve a decisão de cobrar o imposto.

A relatora, desembargadora Denise de Souza Luiz Francoski, ressaltou, inclusive, que o entendimento é pacífico no Supremo Tribunal Federal (STF). ?O sujeito ativo do ICMS é o Estado em que está situada a empresa destinatária da mercadoria importada que, no caso dos autos, é o Estado de Santa Catarina, porque aqui está estabelecida a empresa que adquiriu a importação?, complementou a desembargadora.

Atuaram no processo os procuradores do Estado Carlos Dalmiro Silva Soares e Felipe Barreto de Melo.
 

Processo 0700006-04.2012.8.24.0033

Segunda, 11 de novembro de 2019
Royalties do petróleo
Segunda, 11 de novembro de 2019
Bruno no Novo
Segunda, 11 de novembro de 2019
Novo nome em Lages para prefeitura
Segunda, 11 de novembro de 2019
SINE de Camboriú divulga vagas de emprego
Segunda, 11 de novembro de 2019
Regulariza BC começa na segunda-feira
Sexta, 08 de novembro de 2019
Vai
Sexta, 08 de novembro de 2019
Caminho
Sexta, 08 de novembro de 2019
Nova realidade
Sexta, 08 de novembro de 2019
Posse
Sexta, 08 de novembro de 2019
Pivô
Sexta, 08 de novembro de 2019
Frente
Sexta, 08 de novembro de 2019
Vice do PL
Sexta, 08 de novembro de 2019
Multilog abre seletiva para Startups
anuncie no Jornal | comunicar erro | fale conosco
Todos os direitos reservados - 2009-2015 Jornal dos Bairros