sábado, 20 de julho de 2019
09/07/2019 - 15:03

Itajaí: UPA do CIS tem 74% da aprovação de pacientes em pesquisa

Atendimentos com enfermeiros, médicos e recepcionistas, limpeza e estrutura física foram os destaques

Pesquisa feita no mês de junho apontou que 74% dos pacientes aprovam os serviços oferecidos na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24 horas do Centro Integrado de Saúde (CIS), no São Vicente. O estudo foi elaborado por alunos da Escola Técnica Geração e aplicado durante 15 dias. No mês de junho, a UPA realizou 16.076 atendimentos a adultos e crianças.

?Ficamos felizes em saber que estamos no caminho certo. Cada vez mais buscamos aperfeiçoar o atendimento nas UPAs e essa pesquisa é um indicador importante do que está satisfatório e do que precisa melhorar?, pontua a secretária de Saúde de Itajaí, Sandra Ávila.

A pesquisa de satisfação mostrou que a maior parte dos pacientes (87%) que procuram a UPA do CIS estão em busca de uma consulta médica. Apenas 9% dos entrevistados utilizaram os serviços de odontologia de urgência e 4% fizeram algum tipo de procedimento.

Em relação ao atendimento com médicos, enfermeiros e recepcionistas os números foram positivos. A enfermagem foi a mais efetiva com aprovação de 93% dos entrevistados, os recepcionistas tiveram 87% de aprovação e os médicos 78%. Os pacientes ainda avaliaram a limpeza (89%) e a estrutura física da unidade (85%).

Ao final, os entrevistados avaliaram o atendimento em geral na UPA do CIS e 74% aprovaram os serviços. Apenas 26% responderam ruim ou péssimo na pesquisa de satisfação.

Em relação ao tempo de espera na unidade 37% avaliaram como adequado. Outros 44% dos pacientes responderam que acham a espera demorada e 19% disseram que o tempo de espera é muito demorado.

O coordenador da UPA do CIS Rafael Augusto Rodrigues Brinkhues explica que as opinião quanto ao tempo de espera ocorre por conta da demanda expressiva de pacientes atendida pela unidade diariamente, em especial de pessoas classificadas como não urgentes (fita verde), que poderiam recorrer às unidades básicas de saúde. Nos primeiros seis meses de 2019, a UPA realizou 94.552 atendimentos ? uma média de 500 por dia.

?Temos recebido muitos pacientes com urgências como suturas, paradas cardíacas, crise hipertensiva grave, crises epiléticas ou com risco de morte. Isso demanda maior tempo de atendimento dos médicos e, aliado à grande procura pela UPA, acaba tornando mais demorada a espera de quem não tem uma situação urgente?, comenta Brinkhues.

No entanto, o coordenador ressalta que a Secretaria de Saúde está atenta a esse indicador e busca alternativas junto a equipe médica para oferecer à população um serviço de qualidade e com agilidade. A pesquisa foi realizada por alunos do curso técnico em Enfermagem da Escola Geração com 46 pessoas em um período de 15 dias.

anuncie no Jornal | comunicar erro | fale conosco
Todos os direitos reservados - 2009-2015 Jornal dos Bairros