quarta, 21 de agosto de 2019
08/02/2019 - 17:21

Associação projeta Santa Catarina como líder do comércio eletrônico no Brasil

As atenções do comércio eletrônico brasileiro se voltam para Florianópolis este mês, quando, nos dias 13 e 14, a cidade receberá a quarta edição da Conferência E-Commerce Brasil Santa Catarina, no Centrosul. Serão mais de 1,2 mil participantes reunidos para discutir e prospectar negócios e soluções em um mercado que faturou quase R$ 70 bilhões em 2018 e apresenta crescimento de 15% ao ano em vendas ao consumidor final. Já as vendas da indústria e o e-commerce no atacado, que é o forte de Santa Catarina, somaram R$ 2,04 trilhões no ano passado, um aumento de 8%, conforme o índice b2bol da Econsulting corp.

É com base nessa perspectiva animadora que a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico em Santa Catarina (ABComm/SC) projeta um 2019 de forte expansão para o segmento regional, com vistas a se tornar o Estado do e-commerce no país. Parceira do E-Commerce Brasil, a ABComm/SC aponta o evento como a primeira grande iniciativa do calendário deste ano. Na sequência estão previstas uma série de outras atividades, como as novas edições do Digitalize-me, do Seminário Catarinense de Comércio Eletrônico, missões empresariais e encontros de profissionais do setor.

 

A conferência chega com promissoras expectativas. Além do conteúdo de alto nível técnico, das palestras (serão 30) e networking, há também a projeção de negócios para curto e médio prazo, já que os principais players do segmento da inovação e comércio estarão na Capital catarinense. ?A associação estadual se fará presente com um estande para promover o contato entre associados e profissionais da área de negócios?, adianta o presidente Cristiano Chaussard.

 

Com 380 associados, a ABComm/SC surgiu em 2014 na esteira da entidade nacional, que reúne mais de 8,8 mil associados. Conforme Chaussard, a entidade entra em uma nova fase: a da ?colheita dos relacionamentos plantados principalmente nos últimos quatro anos?. A começar pela intensificação das parcerias com entidades consolidadas como o Sebrae - por meio de mentorias, cursos e capacitação-, a Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Facisc) ? que orienta o planejamento estratégico da ABComm/SC -, e a Fiesc. ?Precisamos agora mostrar para as indústrias a força do comércio eletrônico nas vendas?, explica o executivo.

 

Em outra frente, o presidente orienta o empenho da associação na defesa dos associados das ?ameaças sofridas no mercado?, como projetos de leis, contratos considerados abusivos por parte de fornecedores ou grandes companhias que dominam os setores de logística e pagamento do e-commerce:

 

- Vamos defender cada vez mais os nossos associados das ameaças que eles sofrem no mercado, como projetos de lei injustos, contratos com fornecedores ou grandes companhias que dominam a logística e pagamento do e-commerce. Já entramos com ações coletivas neste âmbito. Dentre elas, a decisão obtida na Justiça que limitou em 8% o reajuste das tarifas do Sedex e do PAC cobradas pelos Correios.

 

SC no topo do comércio eletrônico

 

Os bons prognósticos do mercado para a economia brasileira em 2019 ? especialmente na confiança do consumidor ? aliados a ?consistentes fatores? locais  sinalizam, conforme o presidente da ABComm/SC para a consolidação do comércio eletrônico em Santa Catarina. Ele cita entre os fatores regionais o fato de o Estado ocupar a segunda colocação nacional em número de profissionais no segmento ? cerca de 10% do mercado brasileiro. 

- Não foi por menos que operações como Mercado Livre e Peixe Urbano - que adquiriu o Grupon - se instalaram em Santa Catarina, se unindo a outros grandes players nacionais, como Magazine Luiza, Melissa.com e grupo Hering. É um polo que já tem recursos humanos qualificados, estrutura logística, com portos e uma malha rodoviária que conecta o Mercosul ao Sul e Sudeste, as duas regiões que concentram os maiores fluxo de mercadorias e de vendas - avalia o executivo.

 

Há também um fator que desponta em termos de atração para investimentos: o ecossistema de inovação e tecnologia. Santa Catarina já é reconhecido como um dos mais atraentes e produtivos polos tecnológicos do país. É o Estado que tem a maior proporção de startups por habitantes, reunindo 20% do total de startups brasileiras. São mais de 12 mil empresas de tecnologias, com faturamento anual de R$ 15,5 bilhões ? o que corresponde a 5,6% do PIB catarinense.

- É isso que nos faz crer para um curto prazo que Santa Catarina será referência de estado-líder das operações de e-commerce no Brasil. E a ABComm/SC quer ser a organizadora de um mercado autorregulado, onde fornecedores, vendedores de atacado e varejo, logística, meios de pagamento e consumidores trabalhem em harmonia - destaca Chaussard.

 

SERVIÇO

Associação Brasileira de Comércio Eletrônico de Santa Catarina (ABCOmm/SC)

Terça, 20 de agosto de 2019
Homem é preso por roubo em Itapema
anuncie no Jornal | comunicar erro | fale conosco
Todos os direitos reservados - 2009-2015 Jornal dos Bairros