terça, 11 de dezembro de 2018
06/12/2018 - 09:27

Moradores do Conjunto Habitacional São Francisco assinam contrato com a Caixa

Entrega das chaves será no dia 14 de dezembro

Nesta terça (04) e quarta-feira (05) as famílias beneficiadas pelo Conjunto Habitacional São Francisco de Assis concluíram o último trâmite burocrático antes da mudança. A assinatura dos contratos de financiamento com a Caixa Econômica Federal no ginásio Gabriel João Collares ocorreu das 8h às 17h. O próximo passo será a entrega das tão esperadas chaves dos imóveis, no dia 14 de dezembro.

?Cada beneficiário assina o contrato com a Caixa e já pode solicitar a ligação de água e luz. Para as famílias com crianças, a Secretaria de Educação conseguirá atualizar os cadastros para vagas nas escolas e creches?, explica o secretário de Habitação Odivan Linhares.

Maria Aparecida dos Santos, de 61 anos, mora de aluguel na rua São Vicente e espera pela casa própria desde 2009. A agente de serviços gerais não esconde a alegria de estar entre os beneficiados. ?Parece que é mentira. Quando minha filha viu meu nome no jornal, no dia seguinte estava aqui para o sorteio. No mesmo dia eu já contei para todo mundo, mandei mensagem para meus colegas de trabalho?.

Dona Maria Aparecida já faz planos para a casa nova. ?Comprei o box do banheiro e alguns móveis?. Ela planeja trabalhar na praia durante as férias para comprar mais coisas para a casa nova.

O Residencial São Francisco de Assis
Iniciado em 2007, o Loteamento São Francisco de Assis conta com 480 unidades habitacionais dividas em 120 blocos de quatro apartamentos. Localizadas na rua João Antônio Martins, as habitações têm 47 metros quadrados e custaram pouco mais de R$ 73 mil cada. O custo total do conjunto habitacional é de R$ 35 milhões com recursos federais, mais os investimentos do Município de Itajaí em preparação do terreno e acesso ao local.

Mais de 900 famílias se cadastraram para participar do projeto. Todas as 480 selecionadas têm renda de até R$ 1,8 mil e residem em Itajaí. Dentre os selecionados, 240 são do Imaruí e Canhanduba, ocupantes de áreas irregulares. As contrapartidas das famílias estão parceladas em 10 anos com parcelas entre R$ 80 e R$ 270, conforme a renda do beneficiário. Já os custos assumidos pela Caixa, por meio do Programa Minha Casa Minha Vida, somam entre R$ 41 mil e R$ 64 mil por unidade.

Segunda, 10 de dezembro de 2018
Itapema recebeu 1º Festival de Surf Inclusivo
Segunda, 10 de dezembro de 2018
8 cuidados para abrir uma empresa
Segunda, 10 de dezembro de 2018
INFRAERO vai ampliar o Aeroporto de Navegantes
anuncie no Jornal | comunicar erro | fale conosco
Todos os direitos reservados - 2009-2015 Jornal dos Bairros